Hackathon e colaboração social

17/04/2020

Em meio à pandemia ocasionada pela proliferação da Covid-19, Estado, empresas e sociedade civil têm adotado medidas para mitigar os impactos da doença. Um exemplo de medida cooperativa são os Hackathons, que são iniciativas que visam a criação de um espaço virtual no qual cidadãos qualificados são desafiados a contribuir com soluções inovadoras aos desafios propostos por seus organizadores e enfrentados pela população.

As iniciativas são variadas e estão se espalhando pelo mundo. O governo da Estônia, pioneiro na iniciativa, em poucas horas congregou mais de mil participantes com origens em mais de vinte países. Dessa iniciativa, por exemplo, surgiu o "Share Force One", plataforma que visa conectar negócios que precisam de força de trabalho temporária a negócios que estão fechados e com empregados subutilizados.

No Hackathon promovido pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology), por exemplo, foi desenvolvido software capaz de gerar, por meio de inteligência artificial, uma pontuação que indica a probabilidade de um indivíduo contrair o vírus.
Instituições da Suíça, Alemanha e a União Europeia lançaram, também, Hackathons próprios.

O Facebook, em parceria com diversas empresas de tecnologia, lançou o "Covid-19 Global Hackathon", que reuniu mais de 18 mil pessoas engajadas em desenvolver soluções tecnológicas endereçando áreas diversas, como saúde, população vulnerável e educação.

Esses eventos trazem consigo uma lição de como sociedade civil, empresas e Estado podem criar uma rede de cooperação por meio de mecanismos simples e de baixo custo. À sociedade civil, caberia contribuir com a criatividade aos problemas enfrentados em seu cotidiano. Às empresas, caberia a colaboração com a sua expertise no desenvolvimento de softwares de inteligência. Ao Estado, caberia a ousadia de experimentar soluções inovadoras, geradas pelos participantes, em pequena escala, estabelecer mecanismos de mensuração de resultados e, possivelmente, escalar a sua implementação.

Uma crise sempre traz problemas. Para além disso, contudo, as crises podem trazer lições.


Sérgio Kezen

Estudante de Direito na FGV/Direito Rio.